GRUPO DE EVANGELIZAÇÃO PROFESSORES E ALUNOS DE CRISTO

Com a sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma. Provérbios 24.3

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

GEPACNET – LIVRO: PERGUNTAS QUE AS MULHERES FAZEM NA INTIMIDADE – DOWNLOAD

 Muito mais mulheres do que homens pro­curam a ajuda de um conselheiro. As mulhe­res são muito mais propensas a querer encon­trar soluções e têm mais disposição para ad­mitir que precisam da ajuda de outra pessoa do que os homens. Vejo isto o tempo todo cm meu próprio trabalho e em nossa clínica. Ouço as mulheres discutirem muitas ques­tões e preocupações; algumas são soluciona­das rapidamente enquanto outras podem le­var muitos meses. E as questões cobrem uma vasta gama.
Ouço algumas mulheres que se sentem im­potentes, desmotivadas e insatisfeitas na vida. Ouço outras que apenas querem melhorar o que parece ser uma vida que já está funcio­nando relativamente bem. Sua aparência às vezes engana. Elas quase sempre parecem sau­dáveis, fortes e como se tivessem tudo sob controle. Mas o interior da mulher nem sem­pre combina com o que vejo no exterior. A despeito das circunstâncias, muitas dessas mu­lheres sentem-se vazias.
Essas mulheres estão fazendo perguntas honestas e estão procurando uma maneira de preencher o vazio de suas vidas.
E você? Já foi alguma vez procurar aconselhamento? Alguma vez já teve vontade de sentar-se com alguém para encontrar ajuda na solução de um problema? Alguma vez já conjeturou que perguntas as mulheres fazem nas sessões de aconselhamento? De tempos em tempos as pessoas me perguntam sobre o que as outras conversam e por que procurariam um completo estranho para abrir as suas vidas.
"O que as mulheres perguntam no aconselhamento?"
Apresentamos essa pergunta por carta numa pesquisa entre 700 conselheiros profis­sionais, ministros, conselheiros leigos e assis­tentes sociais em 1992. Por mais incrível que pareça, recebemos mais de 700 respostas — um índice inacreditável de resposta.
Perguntamos: "Quais são as cinco pergun­tas feitas com maior freqüência por suas cli­entes que indicam questões problemáticas ou sensíveis com as quais elas estão lutando no aconselhamento?"
Recebemos mais de 3.500 perguntas. Mas, lembre-se, cada pergunta feita pode refletir dezenas ou centenas de aconselhadas que fizeram essa pergunta ao longo dos anos. Cada pergunta foi considerada cuidadosa­mente e as perguntas feitas com maior fre­qüência foram selecionadas para servir como base para esta série.
Pelos dados que reunimos, temos agora as perguntas mais significativas e mais freqüentemente feitas pelas mulheres àqueles que elas vêem como sendo capazes de ajudá-las. As perguntas incluem questões de submis­são, raiva, abuso, divórcio, casos extraconjugais, auto-estima, intimidade, sexo, romance, como fazer o marido mudar, comu­nicação, maternidade, finanças, lar versus tra­balho, tensão, vícios, tristeza, abandono e muitas outras.
Talvez você perceba que se identifica com algumas das perguntas feitas neste livro. Pode ser que você tenha tido algumas destas mes­mas preocupações no passado ou talvez as esteja enfrentando no momento.
Os livros desta série refletem as pergun­tas que milhares de mulheres têm feito. E por não estarmos no consultório de aconselha­mento com a quantidade normal de tempo para dissecar a questão e trabalhar juntos para descobrir o problema e a solução, as respostas são um tanto mais diretas do que você talvez ouvisse num aconselhamento. Tentarei ofere­cer a minha opinião e dar sugestões baseadas no que aprendi em mais de 25 anos na ativi­dade de aconselhar, ensinar, estudar e dialo­gar com as aconselhadas.
O conteúdo desta série não contém a res­posta final sobre qualquer assunto. Antes, é planejado para oferecer sugestões e ajudá-la a descobrir uma nova perspectiva sobre alguma questão, ou novas alternativas. Considere-o como um ponto de partida em sua jornada. Você talvez descubra uma situação idêntica ou semelhante à sua e seja capaz de aplicar os princípios e sugestões.
Não se surpreenda se a resposta à questão ou pergunta que você está buscando pessoal­mente não seja encontrada na parte que você está examinando. Talvez você a descubra em outro lugar, razão pela qual é importante você ler todas as perguntas e respostas. Os capítulos se sobrepõem de certa forma; a resposta a uma pergunta que não seja problema para você pode oferecer a ajuda que você está procurando. O que você descobrir pode não se encaixar exata­mente, mas talvez você descubra um princípio, uma idéia ou um conceito que poderá expan­dir, apropriar e aplicar àquilo que a está preo­cupando. Leia atentamente, pois do seu pro­cesso mental brotará a criatividade.
Se algo for concretizado pelo conteúdo deste livro, gostaria que fosse o fato de ele ser para você uma fonte de esperança de que respostas, esperança, pode haver novos começos na vida a despeito do que tiver ocorri­do em seu passado ou numa situação atual. Muitos que vêm em busca de aconselhamento sentem-se presos, imobilizados no lugar por cimento endurecido. Converso o tempo todo com pessoas que estão funcionando fisicamen­te, mas parecem ser emocional e espiritualmen­te mutiladas por experiências passadas.
Esteja aberta para a mudança e o cresci­mento em sua vida. Quanto mais vivemos com um problema ou situação intolerável, mais nossa visão de mudança se torna deficiente. Vemos tão-somente a nossa situação atual e permanecemos enraizados no lugar enquanto a vida e o mundo ao nosso redor continuam em frente. Ficamos trancados no passado e no presente em vez de olhar para o futuro. Quan­to mais isso ocorre, mais o futuro parece ser um mundo inatingível, etéreo, irrealista.
Você está hesitando era buscar a ajuda de alguém que possa orientá-la e aconselhá-la? Está limitando seu futuro e crescimento por causa de um medo ou ressentimento? Se você tem feito isso por algum tempo, sabe o que tem conseguido realizar. Então, por que não tentar algo diferente? Busque ajuda. Procure respostas neste livro. Use-as como um início de seu processo de cura. Use-as para compar­tilhar com outros e torne-se uma fonte de cura em suas vidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário